Importância da Nutrição Hospitalar

A nutrição hospitalar tem como seu maior objetivo a manutenção de um estado nutricional adequado dos pacientes, envolvendo desde a prevenção até o tratamento de riscos nutricionais que interferem negativamente na recuperação do paciente internado.


O nutricionista clínico deve integrar a equipe multidisciplinar e a dieta deve ser prescrita pelo médico nutrólogo ou médico que cuida do paciente, com a intervenção do nutricionista, se necessário.


O nutricionista é o responsável por implantar e fiscalizar a adoção das boas práticas para prover o aporte de nutrientes necessários ao paciente internado.


O serviço de nutrição deve fazer gestão:

- da área administrativa da equipe nutricional;

- do recebimento e estocagem dos gêneros alimentícios perecíveis e não perecíveis;

- da área de preparo das refeições das dietas gerais e especiais;

- se houver preparos especiais, do lactário, banco de leite humano, manipulação de dieta enterais, entre outros;

- da administração da distribuição de refeições (refeitório) para funcionários e acompanhantes autorizados;

- da administração das dietas aos pacientes internados;

- da implantação de barreiras para possíveis riscos evitáveis como: troca de refeição, troca de paciente, alergia, intolerância, temperatura alta dos alimentos que podem ocasionar queimaduras nos lábios de idosos, crianças ou quimioterápicos, entre outros eventos.


Segundo a IBRANUTRI (Inquérito Brasileiro de Avaliação Nutricional Hospitalar), mais de 48% dos pacientes hospitalares apresentam algum grau de desnutrição, elevando o tempo de internação, as comorbidades e a taxa de mortalidade.

Nas UTIs é mais grave, estudos apontam que a taxa de desnutrição chega a 70%, pois muitas vezes o paciente precisa ser submetido à dietas via enteral ou paraenteral.


Dessa forma aumentam os riscos de subofertas de nutrientes, alterações hormonais, diarreia, vômito entre muitos outros desalinhamentos nutricionais.


Por isso a importância do nutricionista clínico na UTI, pois ele garante o acesso a melhor terapia nutricional com o objetivo da recuperação clínica do paciente.


A necessidade de um nutricionista na UTI e da equipe de EMTN (Equipe Multidisciplinar de Terapia Nutricional é clara:

- nas definições da ONA (Organização Nacional de Acreditação);

- na ANS (Agência Nacional de Saúde Complementar) que deu mais força para essa necessidade do nutricionista na assistência nutricional através da resolução normativa RN 262 de 01 de junho de 2011 e por fim;

- na própria ANVISA, em reconhecimento da necessidade de assistência multidisciplinar da terapia nutricional, determinou através da Resolução da Diretoria Colegiada – RCD N° 63, de 6 de julho de 2000 a obrigatoriedade da equipe multidisciplinar de terapia nutricional, sendo um dos membros obrigatórios dessa equipe o nutricionista capacitado e treinado para essa assistência.











16 visualizações0 comentário