Laudos e diagnósticos: principais erros cometidos e como evitá-los

As falhas humanas inerentes à atividade hospitalar e da saúde em geral, são quase inevitáveis. Mas por mais que não consigamos eliminá-las, podemos sim avaliar melhor as razões de tais equívocos, a fim de projetar resultados mais seguros.

O número de processos por erro médico cresceu mais de 100%, sendo a maioria deles resultado de erros de laudos e de diagnósticos.


Há erros de laudos e diagnósticos, de tratamento, equívocos preventivos, que englobam falhas na profilaxia e na negligência na monitorização, além de erros de comunicação, bugs de sistema e assim por diante. Um estudo pioneiro da Harvard citado na Revista Brasileira de Epidemiologia os agrupou por áreas clínicas, da seguinte maneira:


- Relacionados a procedimentos cirúrgicos (erros por falha técnica, sangramento pós-operatório, ferida cirúrgica infectada, entre outras similaridades);

- Relacionados a drogas (antibióticos, medicamentos cardiovasculares, analgésicos, anticoagulantes e assim por diante);

- Relacionados a procedimentos médicos não cirúrgicos;

- Relacionados à demora em efetuar o diagnóstico ou à elaboração de um diagnóstico incorreto;

- Relacionados a tratamento não medicamentoso inapropriado ou não realizado no tempo necessário;

- Relacionados ao pós-parto e ao período neonatal;

- Relacionados à anestesia, a quedas, a fraturas, entre outros.


Mas vamos focar nos laudos.


Erros de laudos e diagnósticos podem acontecer por atrasos evitáveis, omissão de avaliações recomendadas, equívocos na interpretação dos resultados de exames, falhas em equipamentos, ação fora da especialidade médica e até uso de testes inadequados. Vale ressaltar que, em muitos casos, esses fatores se comunicam, ocorrendo simultaneamente. E para começarmos a entender a origem desses erros, melhor agrupá-los e avaliar suas motivações separadamente.


“Erros diagnósticos”, segundo Graber, podem ser definidos como:

a) “erros nos quais o diagnóstico foi retardado não intencionalmente (enquanto informações suficientes existiam e estavam disponíveis anteriormente);

b) erros nos quais os diagnósticos foram equivocados (outros diagnósticos foram definidos anteriormente ao diagnóstico correto);

c) erros nos quais um diagnóstico deixou de ser realizado ( ou seja, em nenhum momento um diagnóstico foi definido, tendo isto ocorrido apenas através de outras informações (ex. estudos de autópsia).


No caso de exames de imagem, laudos a distância contribuem para reduzir erros na saúde e melhorar qualidade dos serviços prestados A complexidade da área da saúde faz com que erros em laudos e diagnósticos possam ser fatais, sendo relevante desenvolver processos e soluções que permitam reduzir essas ocorrências e prezar sempre pela eficiência e qualidade dos serviços médicos. O laudo pode ser considerado a primeira etapa de um tratamento e quando ocorrem falhas nele, as seguintes também apresentam problemas, como um tratamento inadequado ou ineficiente.

Quais os principais erros nos laudos e diagnósticos?

Atrasos no diagnóstico O atraso acontece muito em locais que não tem estrutura para atender toda a demanda. No caso de câncer, por exemplo, alguns dias podem ser significativos na reprodução das células, de forma que um atraso pode causar uma interpretação errada do quadro. Os atrasos nos laudos e diagnósticos estão entre as ocorrências mais comuns na área da saúde. Muitas clínicas e hospitais não possuem estrutura para laudar rapidamente os exames, de maneira que são necessários dias e, em alguns casos, prazos maiores para que o resultado seja liberado. Dessa forma, os sistemas de imagens e laudos devem contar com uma estrutura tecnológica adequada e moderna. Omissão de avaliações A omissão de avaliações normalmente acontece quando a equipe médica pressupõe que o quadro do paciente não é tão grave quanto o relatado por ele, retardando a realização dos exames necessários para um diagnóstico precoce. O mau atendimento, como não considerar os relatos e sintomas apresentados pelo paciente, também é omissão, que gera erro no diagnóstico e consequente retardamento do início do tratamento adequado. Interpretação dos resultados A interpretação equivocada dos resultados e laudos é outro erro recorrente na área da saúde e que pode apresentar consequências extremamente prejudiciais ao tratamento e cura do paciente. Esse erro pode ocorrer por falha humana, quando o profissional faz uma interpretação errada dos exames e resultados apresentados, mas também quando softwares inadequados são usados na área da saúde para análise de exames. O não cumprimento das deliberações da Anvisa podem resultar em multas e sanções à instituição. Ação fora da especialidade De acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Lei 3.268 de 1957, não há proibição quanto um médico atuar em uma área na qual não é especialista. Dessa forma, em algumas localidades, principalmente nas mais afastadas, é comum que médicos generalistas deem diagnósticos em outras áreas. Assim, um motivo recorrente para erros em laudos e diagnósticos está relacionado com essa falta de especialidade dos profissionais, fazendo com que casos mais sensíveis e complexos fiquem mais vulneráveis aos erros. Falhas em equipamentos Na área de laudos, a qualidade dos equipamentos é fundamental para que haja assertividade nos resultados obtidos. Os problemas técnicos e desconfigurações em equipamentos consistem em outro tipo de erro que podem refletir em um diagnóstico incorreto. Existem diversos problemas que podem afetar um equipamento de exame, como defeito, estar descalibrado, entre outros. Nesses casos, é fundamental a atuação de um técnico apto para identificá-los e corrigi-los. Caso isso não ocorra, podem ser observados resultados errados, falsos positivos, diagnósticos incorretos, entre outras ocorrências que resultam em um tratamento errôneo e comprometedor à saúde do paciente. Testes inadequados Essa situação ocorre quando o início do atendimento segue um rumo inadequado, realizando testes que não deveriam estar no escopo de recursos utilizados por não estarem relacionados com a real causa da patologia. Entre os agravantes está à possibilidade de uma complicação na situação clínica do paciente devido à ausência do tratamento adequado ou até mesmo pela exposição a métodos indevidos. Qualificação dos técnicos Ainda que o exame solicitado esteja correto e o equipamento também há um problema quando o técnico não é qualificado para realizar o preparo e posicionamento do paciente ou não conhece o correto uso dos recursos. Assim, para evitar erros em laudos e diagnósticos é fundamental contar com técnicos qualificados para a realização dos exames. Como evitar os erros nos laudos e diagnósticos? Atualmente, os laudos a distância ou tele radiologia, têm contribuído para a redução significativa dos erros em etapas como de laudos e diagnósticos. Entre os motivos que podem ser destacados estão:

  • digitalização dos processos de realização do exame e laudos;

  • apenas médicos especialistas responsáveis pela emissão dos laudos;

  • agilidade na comunicação entre médico solicitante, técnico e médico emissor do laudo;

  • maior qualidade dos equipamentos usados.

Dessa forma, os laudos a distância têm contribuído para reduzir a ocorrências de erros em laudos e diagnósticos e, consequentemente, melhorar a prestação de serviços médicos no Brasil.


Um dos principais motivos para perder um cliente da saúde é a falta de agilidade nos serviços.

Quando o paciente é atendido, ele espera resposta para as aflições e os questionamentos de sua condição clínica em um processo humanizado e objetivo.


Nesse sentido, muitos profissionais solicitam exames laboratoriais e radiológicos para fins de comprovação da hipótese diagnóstica.


No entanto, devido a uma desorganização, a empresa não fornece os exames no período solicitado pelo médico. Exemplos disso são exames radiológicos emitidos de forma manual ou que ainda não aderiram à proposta do laudo a distância.


Essa demora no atendimento das demandas dos profissionais clínicos e dos pacientes gera descontentamento de ambas as partes e impacta negativamente na qualidade dos serviços prestados.

No caso de exames de análises clínicas


Cuidados na fase pré-analítica garantem a precisão dos resultados dos exames


Uma das principais finalidades dos testes laboratoriais é auxiliar o raciocínio médico após a obtenção da história clínica e a realização do exame físico. Para tanto, todas as fases de execução dos testes, sobretudo a pré-analítica, devem ser conduzidas seguindo o rigor técnico necessário para garantir a segurança do paciente e resultados exatos.


A realização de exames divide-se, classicamente, em:


• Fase pré-analítica: começa na coleta de material, seja ela feita pelo paciente (urina, fezes e escarro), seja feita no ambiente laboratorial.

• Fase analítica: corresponde à etapa de execução do teste propriamente dita.

• Fase pós-analítica: inicia-se no laboratório clínico e envolve os processos de validação e liberação de laudos, encerrando-se após o médico receber o resultado final, interpretá-lo e tomar sua decisão.


O controle do laboratório sobre os erros em cada uma dessas fases é variável, porém todos têm impacto na conduta adotada pelo médico assistente.


Para finalizar, ressaltamos a responsabilidade de um laudo liberado no tempo certo e na qualidade certa, para a tomada de conduta médica seja focada na Segurança do Paciente, e que agora está com os holofotes ainda mais focados por causa da COVID 19.


Referências:

https://www.fleury.com.br/

Seomarketing 




53 visualizações0 comentário