IMPORTÂNCIA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA DO PACIENTE EM 2021

Atualizado: 18 de jan. de 2021

A proteção do paciente é uma responsabilidade.


O Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) tem como uma de suas principais finalidades a elaboração do Plano de Segurança do Paciente, que contempla a identificação de falhas e a mitigação e/ou eliminação de eventos aos pacientes.


A presença de eventos com desfechos desfavoráveis, ou seja, que causam dano permanente ou morte, mesmo que não intencionais, são com certeza um problema grave.


Evento custa, logo a eficácia do Núcleo de Segurança do Paciente, é muito importante na mitigação e grande diminuição de custos evitáveis para o aproveitamento de investimentos inteligentes. Diferencial para se manter "vivo" em sustentabilidade de riscos, imagem e financeiro, durante e pós pandemia.


Esta iniciativa brasileira parte da premissa que a Segurança do Paciente seja a ponte eficaz da assistência à saúde, sendo um componente essencial e fundamental para promover a qualidade no cuidado.


O Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) deve ser elaborado de maneira que suas ações possam encadear as políticas de saúde existentes no País, aos cuidados na redução de riscos e danos aos pacientes.

Neste contexto, a RDC/Anvisa nº 36/2013 foi constituída para estabelecer a gestão de riscos por meio da implantação dos Núcleos de Segurança do Paciente (NSP).


O protagonismo dos profissionais e das equipes nos processos de qualificação do cuidado é um aspecto central do NSP, que deve se articular às demais políticas públicas para garantir que as unidades de saúde possam dar novos passos, como a elaboração de planos locais de qualidade e segurança do paciente, com ações monitoradas por indicadores, sejam hospitais clínicas, laboratórios, consultórios clínicos ou odontológicos e todas as demais instituições da saúde.


A implantação de protocolos básicos de segurança do paciente que envolve: identificação do paciente, comunicação efetiva entre os profissionais de saúde, uso seguro de medicamentos e insumos, cirurgia segura, higienização das mãos, prevenção de lesão por pressão e prevenção do risco de quedas, é prioridade. Essa ação é considerada estratégica para a minimização de eventos adversos evitáveis na assistência à saúde dos pacientes. Não é a toa que são as seis metas internacionais da OMS.


Para melhorar continuamente os processos assistenciais nas diversas áreas de atenção, a gestão de riscos, o NSP e gestão da qualidade devem unir seus esforços para promover a segurança do paciente.


O Núcleo norteia a prevenção, controle e redução de falhas assistenciais, através do monitoramento sistemático dos riscos assistenciais e do compartilhamento do conhecimento dos seus atores para garantir a assistência segura, o diagnóstico seguro, o laudo seguro, o tratamento seguro, ou seja, a adesão à Segurança do Paciente.


Referências bibliográficas:

https://www.anahp.com.br/

www.ibsp.com.br





19 visualizações0 comentário