top of page

Demarcação de lateralidade e sua importância na mitigação de eventos

Atualizado: 8 de nov. de 2023

Garantir a lateralidade correta durante cirurgias, exames ou terapias é fundamental para evitar eventos. Aqui estão algumas medidas de segurança:


Identificação do paciente: Verifique repetidamente a identificação do paciente através de pulseiras de identificação ou etiquetas (caso de clínicas), com 2 marcadores de segurança obrigatórios, confirmação verbal com o paciente e verificação de registros.


Comunicação eficaz: A equipe envolvida deve manter uma comunicação clara e aberta durante todo o processo, certificando-se de que todos entendem o que está acontecendo e concordando com a lateralidade correta. Caso a lateralidade esteja dúbia ou incorreta, praticar a comunicação efetiva para a devida correção e segurança do procedimento.


Marcação pré-operatória: Em cirurgias e alguns procedimentos, é comum marcar o local do corpo que será operado antes do procedimento. Isso pode ser feito com canetas cirúrgicas ou os "canetões" e envolve a confirmação e envolvimento do paciente. A demarcação na pela deve ser alinhada com a demarcação em todas as fases do registro (prontuário) e deve ser realizada fora do bloco cirúrgico ou local do procedimento, em local calmo e apropriado.


Checklist: Utilize listas de verificação para garantir que todos os aspectos da lateralidade sejam confirmados antes de iniciar o procedimento.


Exames de imagem: Quando a lateralidade é relevante, como em exames de imagem, os profissionais devem garantir que os resultados e imagens sejam claramente identificados e revisados ​​antes de qualquer intervenção.


Biópsia: É de extrema importância que a peça retirada para ser enviada para análise esteja identificada em tipo, quantidade e lateralidade, quando elegível.


Protocolos institucionais: As instituições de saúde devem ter protocolos em vigor para garantir a lateralidade correta em todos os procedimentos, e os profissionais devem ser treinados de acordo com esses protocolos. Até mesmo clinicas de reabilitação, que por muitas vezes não há necessidade da demarcação na pelo do paciente, mas deve haver a segurança no registro, ferramentas, envolvimento dos pares para assegurar que a terapia seja efetiva no membro/local correto.


Dupla verificação: Envolver mais de um membro da equipe na verificação da lateralidade, evitando assim erros devido a fatores individuais.


Informação do paciente: Incentivar os pacientes a comunicar qualquer dúvida ou preocupação sobre o procedimento, incluindo a lateralidade.


Registro adequado: Manter registros detalhados de todas as etapas do processo, incluindo marcações, confirmações e comunicações.


Revisão pós procedimento: Após o procedimento, revise novamente a lateralidade para garantir que não tenha ocorrido erro durante a intervenção. Caso haja erro, deve ser aberto a ferramenta de notificação de eventos, se necessário uma ferramenta mais completa de investigação, como por exemplo o Protocolo de Londres, analisar, tratar e agir para que mitigue a chance de recorrência.


O envolvimento direto do médico na marcação da lateralidade, especialmente em procedimentos cirúrgicos, oferece vários benefícios importantes:

  1. Responsabilidade: Ao realizar a marcação da lateralidade, o médico assume uma maior responsabilidade pela identificação correta do local da cirurgia. Isso reforça o compromisso com a segurança do paciente.

  2. Conhecimento anatômico: O médico possui um conhecimento profundo da anatomia do paciente, o que o capacita a identificar com precisão o local correto da intervenção.

  3. Comunicação direta: O médico pode esclarecer quaisquer dúvidas ou preocupações sobre a lateralidade diretamente com o paciente, promovendo uma comunicação mais eficaz e estabelecendo uma compreensão mútua.

  4. Evita erros de identificação: A participação ativa do médico na marcação da lateralidade ajuda a evitar erros relacionados à confusão de pacientes ou locais da cirurgia.

  5. Confiança do paciente: O envolvimento do médico na marcação da lateralidade pode aumentar a confiança do paciente, pois ele percebe que o médico está pessoalmente investido para garantir que o procedimento seja realizado no local correto.

  6. Cumprimento de protocolos: A presença do médico durante a marcação reforça o cumprimento de protocolos de segurança cirúrgica, contribuindo para a redução de erros médicos.

  7. Garantia de qualidade: A participação do médico na marcação da lateralidade é um elemento importante no controle de qualidade e na garantia da segurança do paciente, e demonstra o comprometimento da equipe com altos padrões de cuidados.

O envolvimento do médico na marcação da lateralidade é uma prática essencial para garantir a segurança do paciente, minimizar erros cirúrgicos/procedimentos e promover a confiança e a qualidade do atendimento.


Essas medidas de segurança são fundamentais para garantir a lateralidade correta em cirurgias, exames e terapias, minimizando o risco de erros que podem ter consequências graves para os pacientes.







26 visualizações0 comentário

댓글


bottom of page