Coronavírus e as pequenas clínicas e consultórios médicos

Atualizado: 1 de jun. de 2020


O impacto da pandemia da COVID-19 no mundo todo já está sendo sentido em vários níveis da economia. Com certeza, o setor da saúde também está sofrendo as consequências e vai ser preciso repensar a gestão.


Clínicas grandes e hospitais estão passando por uma reviravolta econômica séria. No entanto, essas instituições maiores possuem uma segurança financeira que os menores não têm, trazendo um risco ainda maior.

Muitos profissionais da saúde, além de pequenas clínicas e consultórios médicos, possuem sua renda muito dependente da agenda diária.

Com as recomendações de isolamento social para conter a proliferação do coronavírus, precisaram fechar suas agendas ou ter seus atendimentos reduzidos. A não ser que a especialidade tenha relação direta com o tratamento do coronavírus. Mas nesse caso, a clínica pode ter superlotação, transgredindo a orientação do isolamento social consciente.

Enfim, esse tipo de clínica, deverá sofrer uma queda de faturamento, um fluxo de caixa desordenado pelas urgências e ações pontuais e o distanciamento de pacientes. 

O problema é crítico e demanda estratégias apropriadas.


Precisamos tomar algumas condutas:

  • Manter o financeiro da sua gestão de saúde;

  • Evitar o distanciamento dos pacientes de sua clínica médica;

  • Ajudar ainda mais no combate ao coronavírus.


A economia do Brasil e do mundo, certamente sofrerá nesse momento. Vidas humanas estão em jogo e elas devem ser prioridade, por isso o isolamento social e a redução das aglomerações de pessoas são essenciais. 

O próprio Conselho Federal de Medicina (CFM) recomenda o isolamento como a estratégia mais correta para a contenção da COVID-19. 

Cuide de perto a gestão financeira de sua clínica médica

Essa filosofia é essencial não apenas durante uma situação de crise como a do coronavírus. Uma boa gestão financeira pode deixar a clínica segura contra a falência, apesar da diminuição de faturamento.. Com a situação atual, isso é ainda mais sério para a gestão médica de pequenas clínicas e de profissionais liberais da saúde. É preciso organizar os fluxos de caixa com precisão, controlar receitas e despesas, ter uma boa gestão de contas a pagar.

Considere usar a telemedicina

Neste período de pandemia, as entidades reguladoras liberaram a possibilidade do uso da telemedicina! Essa é uma forma muito útil de manter o atendimento médico durante esse período.

Fazer consultas e atendimentos com os pacientes sem que eles precisem ir até o consultório médico. Isso mantém o fluxo de caixa em movimento sem colocar em risco a saúde dos pacientes, ou dos profissionais.

Essa conduta ajuda o trabalho de um médico movimentar o fluxo de caixa, e também proteger vidas! Por isso, através da telemedicina há como continuar cuidando das vidas dos pacientes que precisam do médico.

Como evitar a perda de pacientes durante a pandemia

Durante a pandemia, muitos pacientes podem acabar se distanciando da clínica e todo o trabalho de conquista e fidelização do paciente pode se perder.

Manter a relação entre ele e a clínica médica durante todo o período, para que ele volte a t procurar sempre que precisar de um atendimento.

O marketing médico ajudará a promover a fidelização e ainda mais: ajudará a sociedade a lidar com o pandemia de forma saudável. Afinal, os conhecimentos de medicina e as informações que podem ser muito úteis para quem as ler.

Também pode usar a medicina solidária para atuar de forma ainda mais presente neste momento de crise e distribuir o máximo de informações para auxiliar no combate ao coronavírus. Afinal, médicos e profissionais de saúde são guardiões da vida! E o compartilhamento correto e embasado pode ajudar em muito os pacientes e fazer com que eles tenham uma lembrança afetiva do profissional da saúde e até mesmo da clínica.


Quando estamos em algum modelo de crise, como essa pandemia, devemos nos preocupar ainda mais com a união das equipes de trabalho para que o grupo não se desmotive ou entre em pânico.

Não podemos esquecer, principalmente nos momentos críticos como o que estamos passando, que a cultura de segurança do paciente e a qualidade de vida dos profissionais não devem ser deixados de lado, jamais.

Uma pandemia precisa ser tratada, na área da saúde, com metodologia testada, padronizada, eficaz, com menor custo e maior resultado positivo. Não há tempo nem recursos financeiros para erros e eventos.

É o momento onde devemos preservar e capacitar, de forma rápida, eficaz e nada burocrática, os profissionais da saúde, para que seja prestada a assistência do cuidado de forma segura e com a qualidade esperada.


Para as instituições que já têm a cultura de segurança do paciente ou estão a caminho, com implantações de ações e procedimentos, não deixem que as rotinas existentes, já conquistadas, com adesões que evidenciam ou começaram a demonstrar resultados positivos, fiquem estagnadas. É nesse momento, que não se deve desestruturar processos padronizados, tratados e eficazes para que todo o investimento em estrutura e pessoas sejam valorizados.

Para as instituições que ainda não tiveram a oportunidade de aderir à gestão da qualidade com foco na cultura de segurança do paciente, esse é o momento de analisar as fragilidades, os erros, os retrabalhos, os custos, momento de gerenciar a crise na instituição causada ou acentuada pela pandemia.


Com certeza os resultados pouco agradáveis não finalizarão logo após o término da pandemia e é nesse momento que a instituição deve estar apta, segura e preparada para despontar com algum diferencial no mercado da saúde.


Para isso, a CQ Consultoria conta com uma equipe especializada e capacitada tanto com embasamentos científicos e expertise, quanto com humanização e serenidade para orientar o CEO e suas equipes a manterem o alinhamento, a assistência segura, a sustentabilidade, as pessoas e a legislação, durante a crise. Quaisquer dúvidas, entre em contato conosco pelas redes sociais ou sugira algum tema em que possamos ajudá-los e com certeza daremos o nosso máximo para norteá-lo. Nesse momento, precisamos ajudar a saúde a se manter com qualidade e segurança


Mesmo no momento crítico e grave, a saúde não pode esperar, portanto a qualidade na assistência deve continuar.





13 visualizações0 comentário